Elliott Smith
Strung Out Again



Leituras Recomendadas:


The Bible According to Mark Twain
+
Animal Behavior






a causa foi modificada
alexandre soares silva
estado civil
joão pereira coutinho
melancómico
voz do deserto



100nada
a aba de heisenberg
a origem das espécies
a sexta coluna
achoeu
adufe
amor em part-time
blogame mucho
bomba inteligente
contra a corrente
daltonic brothers
fábrica lumière
homem a dias
mar salgado
marretas
papoila procria
posto de escuta
a praia
quase famosos
rititi
senhor carne
theoldman








cinecartaz
guardian film
rotten tomatoes
nytimes movies
the film file
sight&sound
all story
filmfestivals.com
faber&faber film
eternal gaze
cineguia
icam



<








This page is powered by Blogger. Isn't yours?


segunda-feira, maio 17, 2004


Humano é errar


Como a escrita é para mim um gozo, e não uma vocação, é frequente o erro na construção de frases. Estive para escrever sentences. Soa-me bem, é posh. Agora que já encontrei uma forma de aqui colocar duas palavras que andavam na cabeça, o post continua. A escrita, dizia eu. Quantas vezes, não releio o que acabo de postar (postarior a escrever) e observo que a frase está com uma vírgula, ou uma palavra trocada. A ordem em que coloco as coisas (não arranjei palavra melhor) sai muitas vezes trocada e muda por completo o significado da frase. O truque é deixar ficar como está. Assim (atenção que eu escrevi apenas assim, e não: é assim), podem-nos acusar de escrever mal, mas não podem nunca acusar-nos de hipocrisia. Clico com o botão direito do rato na última palavra da frase anterior: falsidade, sonsice, fingimento, dissimulação, doblez, refolho, impostura, diz-me o computador. Mas vai ficar hipocrisia. Quem quero eu enganar?








Google
WWW A Origem do Amor